Saúde e Bem-estar

Grávida pode viajar de avião?

Atualizado em: 29/11/22 | Dicas de saúde, Obstetrícia

Grávida pode viajar de avião?

Será que quem está grávida pode viajar de avião? Em geral, felizmente, a resposta é sim! Mas, para prevenir eventuais problemas, deve-se seguir à risca algumas orientações importantes. Dessa forma, pode-se curtir as merecidas férias ou cumprir os compromissos de trabalho, em outras localidades, sem maiores complicações.

Neste artigo, reunimos uma série de dicas para se ter um voo seguro e relaxante. Se você está gestante, continue a leitura e esclareça suas dúvidas!

Grávida pode viajar de avião até que semana?

Para gestações de baixo risco, as viagens esporádicas, realizadas em aeronaves comerciais pressurizadas, são consideradas seguras até a 36ª semana. No entanto, para liberar o embarque, a maioria das companhias aéreas exige atestado médico:

  • a partir da 28ª semana (para gestações simples);
  • a partir da 26ª semana (para gestações múltiplas).

Esse documento deve ser emitido, em média, entre sete e dez dias antes da data agendada para o voo. Para ser válido, ele precisa conter a assinatura e o carimbo com o número do CRM (registro médico junto ao Conselho Regional de Medicina). Para facilitar, atualmente, as companhias já aceitam o atestado com assinatura digital.

Em relação ao conteúdo, o atestado médico tem que incluir, obrigatoriamente, as seguintes informações:

  • idade gestacional;
  • parecer sobre a condição clínica da gestante;
  • autorização expressa para a viagem;
  • tempo máximo de voo permitido (em horas);
  • estimativa da data provável do parto;
  • locais de origem e destino, bem como as respectivas datas e horários de saída e chegada dos voos (para a ida e para a volta).

Algumas empresas exigem, também, o preenchimento da declaração de responsabilidade. Para evitar transtornos, atrasos e/ou constrangimentos, consulte as regras da companhia aérea escolhida com antecedência e certifique-se de cumprir todos os requisitos.

Em quais casos as viagens de avião são contraindicadas?

Após a 36ª semana de gestação, o embarque é permitido somente em casos de comprovada urgência. Além disso, é necessário o acompanhamento de um médico responsável pela gestante.

Já para mulheres com gestações de alto risco, independentemente da semana gestacional, as viagens de avião são sempre contraindicadas. O mesmo vale para gestantes que apresentem dores ou sangramento antes do embarque. O motivo é prevenir a ocorrência de complicações durante o voo.

Como as gestantes devem se preparar para voar?

Antes da gestante embarcar, recomenda-se consultar o respectivo obstetra. O objetivo é avaliar um possível quadro de anemia e, caso seja constatado, realizar a necessária compensação.

Além disso, deve-se evitar, por alguns dias, a ingestão alimentos produtores de gases intestinais. É o caso, por exemplo, das leguminosas (feijões, lentilhas, ervilhas etc), da soja, do brócolis, da couve-flor, do repolho e dos laticínios (queijos, iogurtes e leite).

Quais devem ser os cuidados durante os voos?

Para se adaptar fisiologicamente à pressão barométrica reduzida em altas altitudes, as gestantes devem tomar alguns cuidados simples, mas essenciais. Durante os voos, principalmente, com duração superior a quatro horas, indica-se:

  • manter-se bem hidratada;
  • evitar ficar longos períodos sem comeralimentando-se, frequentemente, com frutas secas, bolachas integrais e outros petiscos leves e saudáveis, levados na bolsa;
  • vestir roupas folgadas e bastante confortáveis;
  • usar meia elástica ¾ de média compressão;
  • movimentar-se, realizando pequenos alongamentos e caminhadas, a cada hora, para evitar a imobilidade prolongada e prevenir a formação de trombos;
  • manter o cinto de segurança afivelado, posicionando-o sobre a pelve (logo abaixo da barriga).

Quais são os possíveis riscos durante as viagens?

As gestantes precisam considerar que, caso ocorram complicações, estarão longe dos cuidados médicos habituais. Além disso, dependendo do destino, existe o risco, potencialmente aumentado, de se expor a doenças infecciosas, tais como:

  • diarreia dos viajantes;
  • zika vírus;
  • malária;
  • entre outras enfermidades.

Em relação à radiação cósmica recebida durante os voos, seus níveis são muito baixos. Por isso, esse tipo de preocupação se restringe a quem viaja de avião com muita frequência, como as comissárias de bordo e outras profissionais da aeronáutica.

Esperamos que o artigo tenha sido esclarecedor. Como mostrado, grávida pode viajar de avião, mas é preciso apresentar boas condições de saúde, tomar os devidos cuidados e seguir as orientações das companhias aéreas.

Quem é de Florianópolis (SC), pode contar com a equipe do Espaço Binah para realizar seu acompanhamento pré-natal e receber todo o suporte necessário. Caso ainda tenha restado alguma dúvida, entre em contato para que possamos esclarecê-la. Estamos à sua disposição!

Ginecologista, obstetra e diretor técnico do Espaço Binah - CRM/SC 13.883 | RQE: 9909

VEJA TAMBÉM

Existem alimentos que ajudam na saúde íntima?

Sim! Existem alimentos que ajudam na saúde íntima feminina, atuando na prevenção de infecções, alívio de cólicas menstruais, entre outros…
29 de dezembro, 2023

A importância do aleitamento materno para o bebê

O aleitamento materno oferece toda nutrição que o bebê necessita para crescer pleno e saudável. Por isso, recomenda-se que a amamentação de nascidos a…
29 de dezembro, 2023

Quanto tempo dura o puerpério e quais as mudanças esperadas?

Algumas pessoas ficam em dúvida sobre quanto tempo dura o puerpério. Trata-se do período que corresponde aos primeiros 40 dias após…
29 de dezembro, 2023