Saúde e Bem-estar

Como prevenir o câncer de mama?

Dicas de saúde, Oncologia ginecológica

Como prevenir o câncer de mama?

Compreender como prevenir o câncer de mama é uma medida em prol da saúde do organismo como um todo. Isso porque, o processo exige a adoção de uma série de hábitos considerados protetores, ligados à alimentação saudável, à prática de atividades físicas, entre outros.

Aproveitando a chegada da campanha Outubro Rosa, decidimos explicar quais são os principais fatores relacionados à prevenção da doença. Além disso, mostramos como é o respectivo tratamento e quais são as chances de cura. Confira!

Como prevenir o câncer de mama?

O câncer de mama feminina tem causas não modificáveis, como fatores hereditários e ligados ao ciclo reprodutivo, e modificáveis, associadas aos hábitos cotidianos. Quanto às últimas, destacam-se:

  • excesso de peso corporal;
  • sedentarismo;
  • uso de terapia de reposição hormonal (TRH) superior a cinco anos;
  • consumo excessivo de álcool;
  • e tabagismo, tanto ativo quanto passivo.

A essa altura, já é possível ter uma pista de como prevenir o câncer de mama, certo? Basicamente, para promover a prevenção primária da doença, deve-se rever o estilo de vida, adotando práticas saudáveis no dia a dia. Isso inclui:

  • ter uma alimentação nutricionalmente equilibrada, baseada, principalmente, em opções in natura;
  • evitar alimentos ultraprocessados, tais como pratos prontos congelados, macarrões instantâneos, sucos de caixinha, entre tantos outros;
  • minimizar o consumo de carnes vermelhas e embutidos;
  • ser fisicamente ativa, praticando exercícios físicos regularmente, por, pelo menos, 300 minutos semanais, segundo a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS);
  • amamentar os filhos até dois anos ou mais, pois as taxas dos hormônios que favorecem o desenvolvimento de neoplasias mamárias caem durante o aleitamento e, ao mesmo tempo, ocorre uma renovação das células, o que aumenta as chances de eliminar aquelas que poderiam conter lesões no material genético;
  • evitar o consumo de bebidas alcoólicas e parar de fumar;
  • apalpar as mamas sempre que se sentir confortável, pois, segundo a Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), o Instituto Nacional de Câncer (Inca) e o Ministério da Saúde, é mais comum encontrar caroços casualmente do que no autoexame periódico;
  • procurar seu médico, imediatamente, caso perceba qualquer alteração nas mamas, como nodulação, secreção pelo mamilo, entre outras.

O que é a chamada prevenção secundária?

Além da prevenção primária, ligada aos hábitos de vida, recomenda-se, ao mesmo tempo, adotar estratégias para a chamada prevenção secundária. Essa não visa prevenir o surgimento da doença, mas, sim, evitar o seu diagnóstico em fases avançadas, com pior prognóstico.

Para tanto, é imprescindível ir às consultas ginecológicas de rotina e fazer os exames solicitados, iniciando o rastreamento do câncer de mama em idade adequada. Esse consiste na realização da ultrassonografia mamária, em mulheres mais jovens, e da mamografia, para aquelas com mais de 40 anos.

Em alguns quadros, como quando existe histórico familiar de neoplasias mamárias em várias parentes próximas, pode-se indicar, também, exames genéticos que avaliam as chances de desenvolver a doença. É o caso da presença de mutações nos genes BRCA1 e 2, as quais indicam um alto risco para a ocorrência de tumores malignos nas mamas e nos ovários.

Além disso, em casos específicos, os médicos também podem recomendar o uso de medicamentos (quimioprevenção) para reduzir o risco de câncer de mama. Ou, até mesmo, indicar a realização de cirurgias preventivas (com remoção e reconstrução das mamas).

Com esses cuidados, é possível evitar o câncer de mama?

Não. Mesmo seguindo as orientações dos especialistas — comportamentos saudáveis combinados às visitas médicas regulares — algumas mulheres desenvolverão câncer de mama. Porém, justamente por terem o hábito de fazer os check-ups ginecológicos periódicos, as chances de detectá-lo em estágios iniciais é bastante alta.

Felizmente, graças ao diagnóstico precoce, a probabilidade de o tratamento ser menos agressivo e mais eficiente é muito maior. Sabe-se que, quando iniciado em tempo oportuno, as taxas de cura da doença são bastante altas.

Como é o respectivo tratamento?

O tratamento do câncer de mama consiste no emprego de múltiplas abordagens, com o intuito de eliminar o tumor e impedir metástases. Dessa forma, considerando as características de cada caso, pode-se indicar um tratamento:

  • loco-regional (cirurgia e, por vezes, radioterapia complementar);
  • sistêmico (quimioterapia ou hormonioterapia);
  • e/ou imunoterápico (imunoterapia).

As chances de cura variam conforme o tipo de tumor, localização e o estadiamento (grau de disseminação). Segundo o Instituto Oncoguia, a taxa de sobrevida em cinco anos para tumores localizados é de 99%.

Agora que você sabe como prevenir o câncer de mama, promova as melhorias necessárias na sua rotina e faça o acompanhamento ginecológico periódico. Se estiver na região de Florianópolis, SC, conte com a equipe do Espaço Binah para cuidar da sua saúde como ela merece!

Agende sua consulta agora mesmo por telefone (48 3209-6658) ou WhatsApp! Estamos à sua disposição!

Ginecologista, obstetra e diretor técnico do Espaço Binah - CRM/SC 13.883 | RQE: 9909

VEJA TAMBÉM

Existem alimentos que ajudam na saúde íntima?

Sim! Existem alimentos que ajudam na saúde íntima feminina, atuando na prevenção de infecções, alívio de cólicas menstruais, entre outros…
29 de dezembro, 2023

A importância do aleitamento materno para o bebê

O aleitamento materno oferece toda nutrição que o bebê necessita para crescer pleno e saudável. Por isso, recomenda-se que a amamentação de nascidos a…
29 de dezembro, 2023

Quanto tempo dura o puerpério e quais as mudanças esperadas?

Algumas pessoas ficam em dúvida sobre quanto tempo dura o puerpério. Trata-se do período que corresponde aos primeiros 40 dias após…
29 de dezembro, 2023