Saúde e Bem-estar

6 passos para uma alimentação saudável na gravidez

Nutrição funcional

6 passos para uma alimentação saudável na gravidez

A descoberta de uma gestação é, sem dúvida, acompanhada por vários sentimentos distintos. Desde a alegria pela realização do sonho e a ansiedade sobre o que virá nos próximos meses, até a preocupação com o que comer na gravidez, todas essas questões podem passar pela cabeça da gestante em questão de segundos.

Como em tudo na vida, nesse momento também é essencial manter o foco em uma coisa de cada vez. Por isso, neste artigo vamos falar sobre a dieta balanceada como forma de levar a gestação com mais qualidade, além de proporcionar mais saúde para mãe e bebê antes, durante e após o parto. Vamos ver os passos para chegar a isso?

Qual é a importância da alimentação saudável na gravidez?

A gestação é um período repleto de transformações fisiológicas e adaptações metabólicas no organismo da mãe, para torná-lo capaz de conciliar o aumento das necessidades fisiológicas da mulher com aquelas necessárias para o crescimento saudável do bebê.

Também é nesse período que o corpo se prepara, reservando energia necessária para o parto e o pós-parto, levando ao aumento de peso. E também sobre isso precisamos ter atenção.

Isso porque o ganho de peso materno e a qualidade da dieta influenciam no peso com que o bebê nasce. E, já há comprovação de que o peso do recém-nascido ao nascer pode ser um fator determinante importante para a saúde na primeira infância e para o surgimento de fatores de risco para doenças ao longo da vida. Por exemplo, quando há um déficit no crescimento fetal, o bebê pode ter risco aumentado para doenças cardiovasculares, diabetes mellitus tipo 2, hipertensão, obesidade e hiperlipidemia.

Quais nutrientes são essenciais nessa fase?

Como dissemos há pouco, durante a gestação, o organismo da mulher encontra-se em adaptação metabólica constante para conciliar as necessidades fisiológicas aumentadas da gestante com o adequado crescimento e desenvolvimento do feto.

Sob esse ponto de vista, podemos destacar os seguintes nutrientes essenciais:

Vitamina A

Função: auxilia na prevenção de infecções da mãe e do bebê; ajuda na prevenção de morte materna e fetal; e em altas doses tem efeito teratogênico.

Alimentos que o contêm: ovos, laticínios integrais, batata-doce, cenoura, repolho, manga, melão, leite humano.

Vitamina C

Função: ajuda a evitar o parto prematuro; potencializa a absorção do ferro; auxilia na formação de colágeno; e auxilia sistema imunológico.

Alimentos que o contêm: laranja, acerola, goiaba, kiwi, couve, agrião, pimentão, caju e brócolis.

Vitamina D

Função: importante para o sistema imunológico; manutenção dos ossos e músculos; manutenção do sistema neurológico; e formação adequada da placenta.

Alimentos que o contêm: peixes como sardinha e outros peixes oleosos de pequeno porte, frango, cogumelos, ovos, leite e iogurte integrais, feijão, castanhas e exposição ao sol.

Ácido Fólico

Função: previne má formações neurológicas e cardíacas, além do aborto espontâneo; evita o baixo peso do recém-nascido.

Alimentos que o contêm: espinafre, couve, agrião, aspargos, amendoins orgânicos, farinhas integrais, salsinha, beterraba crua, peixes, laranja e leite pasteurizado.

Cálcio

Função: importante para o crescimento e desenvolvimento dos ossos do bebê; ajuda a regular das contrações uterinas; e pode auxiliar a reduzir risco de pré-eclâmpsia.

Alimentos que o contêm: leite e derivados, sardinha em conserva e outros peixes, couve, agrião, amêndoas e outras oleaginosas, leite de coco, aveia e brócolis.

Ferro

Função: ajuda a aumentar o volume de sangue; previne a anemia gestacional; e garante o fornecimento de oxigênio e nutrientes necessários ao feto.

Alimentos que o contêm: carnes magras, ovos, sardinha, vegetais verdes escuros, feijão, grãos integrais.

Zinco

Função: estimula o crescimento das células; reforça o seu sistema imune; influencia o desenvolvimento cognitivo do bebê.

Alimentos que o contêm: carne bovina, grãos integrais,  chocolate amargo, frutos do mar, sementes, nozes e castanhas.

Magnésio

Função: previne a pré-eclâmpsia; evita o nascimento prematuro; ajuda no crescimento no feto; melhora relaxamento muscular e o sono; e protege a saúde cardiovascular.

Alimentos que o contêm: carne de peru, gergelim, amêndoas e cereais integrais, folhas verdes escuras, coco e abacate.

Vitamina B12

Função: protege dos riscos de má formação do tubo neural; produção de neurotransmissores; evita aparecimento de anemia megaloblástica; e importante na metabolização ácido fólico e na sintese de DNA.

Alimentos que o contêm: carnes, peixes, frango, leite e queijo integrais, cereais fortificados.

Ômega 3

Função: favorece o desenvolvimento cerebral e visual do bebê; diminui o risco de a mulher desenvolver depressão durante a gravidez; baixos níveis podem estar relacionados a aumento do risco de parto prematuro, pré-eclâmpsia e interrupção da gravidez; pode auxiliar na redução do risco de diabetes gestacional.

Alimentos que o contêm: peixes, como salmão, sardinha, atum e mariscos; óleos vegetais; hortaliças verde-escuras, como espinafres e brócolis; cogumelos, nozes e chia.

Como adotar uma alimentação saudável na gravidez?

Com a lista acima, já foi possível perceber que é preciso ter uma alimentação saudável na gravidez, com pratos ricos em nutrientes, saborosos e coloridos, não é mesmo? Ainda assim, sabemos que nem sempre é fácil saber como colocar toda essa variedade no dia a dia. Pensando nisso, preparamos algumas dicas de como adotar uma rotina saudável:

  • Coma mais vezes, e em menos quantidade. Faça pequenas refeições ao longo do dia, de preferência a cada 3 horas;
  • Prefira comer a salada antes do almoço e do jantar. Isso ajuda a diminuir a quantidade de comida ingerida e evita o aumento excessivo da glicemia após as refeições;
  • Procure ingerir muito líquido ao longo do dia. Esse hábito ajuda a diminuir a retenção de líquidos, previne a prisão de ventre e, ainda, ajuda a eliminar os resíduos resultantes do metabolismo do bebê;
  • Opte por lanches saudáveis. Nestes momentos, você pode ingerir iogurte integrais naturais, castanhas, frutas com aveia ou uma torrada integral com queijo branco e um suco verde;
  • Evite os seguintes alimentos: bebidas artificiais, carne crua ou muito gordurosa, alimentos embutidos e processados, refrigerantes, adoçantes artificiais, tomar café descafeinado;
  • Evite guardar alimentos em potes plásticos, beber água em copos ou garrafas plásticas, usar panelas ou travessas de alumínio;
  • Prefira alimentos orgânicos.

Qual a importância do nutricionista nesse processo?

A alimentação saudável durante a gravidez é um dos fatores mais cruciais para o bom desenvolvimento do seu bebê e para que você tenha forças e equilíbrio metabólico para fornecer ao seu pequeno tudo o que ele precisa para crescer saudável.

Neste contexto, o acompanhamento de um nutricionista especializado na atenção à gestante faz toda a diferença. Este profissional será capaz de adequar sua rotina e preferências alimentares às necessidades de cada fase da gestação.

Se você é gestante ou pensa em engravidar e está em busca de mais informações sobre a dieta ideal, aproveite que já está em nosso site e entre em contato conosco para agendar uma avaliação aqui no Espaço Binah. Será um prazer recebê-la aqui!

Nutricionista funcional do Espaço Binah CRN 10 3774

VEJA TAMBÉM

Existem alimentos que ajudam na saúde íntima?

Sim! Existem alimentos que ajudam na saúde íntima feminina, atuando na prevenção de infecções, alívio de cólicas menstruais, entre outros…
29 de dezembro, 2023

A importância do aleitamento materno para o bebê

O aleitamento materno oferece toda nutrição que o bebê necessita para crescer pleno e saudável. Por isso, recomenda-se que a amamentação de nascidos a…
29 de dezembro, 2023

Quanto tempo dura o puerpério e quais as mudanças esperadas?

Algumas pessoas ficam em dúvida sobre quanto tempo dura o puerpério. Trata-se do período que corresponde aos primeiros 40 dias após…
29 de dezembro, 2023